Translate

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Gatos & Anjos

gatos e anjos



Os gatos, animais mágicos, são personagens de muitas histórias, crenças e folclore. 

Existe uma que vem da Rússia e que é bem bonita e  singela. 

Acreditam que se houver pelo menos um gato pelos telhados de uma vizinhança é sinal de que há anjos por perto zelando por todos os habitantes daquele lugar.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Ervas: nome científico

magia no dia a dia


Pode parecer  bobagem ou exagero, mas não é. Algumas vezes é preciso saber o nome científico das ervas para não fazer confusão e acabar usando a planta errada. 



Então, como informação e conhecimento nunca é demais, vamos à nossa pequena lista:



Abacateiro - Persea gratissima 
Abacaxi - Ananas sativus 
Abóbora - Cucurbita pepo 
Agrião - Nasturtium officinale 
Aipo - Aipum graveolens 
Alcachofra - Cynara scolymus 
Alecrim de Jardim - Rosmarinus officinalis 
Alface - Lactuca sativa 
Alfavaca - Ocimum basilicum 
Alfazema - Lavandula officinalis 
Alho - Allium sativum 
Ameixeira - Prunus domestica 
Amoreira - Morus celsa 
Angelica - Angelica officinalis 
Arnica - Arnica montana - Tabaco de Savóia 
Arroz - Oryza sativa 
Arruda - Ruta graveolens - Ruta sativa 
Artemísia - Artemisia vulgaris
Avenca - Adianthum capillus veneris 
Babosa - Aloe vera 
Beldroega - Portulaca oleracea 
Boldo-do-Chile - Peumus boldus 
Cabelo de Milho - Calendula officinalis 
Cambará - Lantana camará
Camomila comum - Matricaria chamomilla 
Camomila Romana - Anthemis nobilis 
Carqueja - Baccharis trimera 
Cáscara Sagrada - Rhammus purshiana 
Chá Preto - Thea sinensis
Cebola - Allium cepa 
Cenoura - Daucus carota 
Confrey - Symphytum officinalis 
Cravo-da-Índia - Eugenia caryophyllata 
Dente-de-Leão - Taraxacum officinale 
Erva-Cidreira - Cymbopogon citratus 
Erva-de-Santa-Maria - Chenopodium ambrosioides 
Erva-Doce - Pimpinella anisum
Erva-Mate - Ilex paraguayensis / brasiliensis
Espinheira Santa - Maytenus hicifolia
Eucalipto - Eucalyptus globulus 
Gengibre - Zingiber officinalis 
Ginseng - Panax quinquefolium 
Girassol - Helianthus annuus 
Guaraná - Paullinia cupana 
Guiné - Petiveria alliacea 
Hamamélis - Hamamelis virginiana 
Hissopo - Hyssopus officinalis 
Hortelã - Monarda punctata 
Hortelã Pimenta - Menthapiperita 
Laranjeira - Citrus aurantium 
Limão - Citrus limonum 
Losna - Artemisia absinthium
Maçã - Pyrus malus 
Malva - Malva sylvestris 
Mamona - Ricinus communis 
Manjerona - Origanum majorana 
Melissa - Melissa officinalis 
Mil-Folhas - Achillea millefolium
Morango - Fragaria vesca 
Quebra-Pedra - Phyllanthus niruri 
Romã - Punica granatum 
Rosa - centifoliae gallica 
Sabugueiro - Sambucus nigra 
Sálvia - Salvia officinalis 
Stevia - Stevia rebaudiena 
Tanchagem - Plantago lanceolata
Urtiga - Urtica dioica 
Zimbro - Juniperus communis 





sábado, 25 de fevereiro de 2017

Sobre trançar os cabelos

A minha avó dizia-me que quando uma mulher se sentisse triste, o melhor que podia fazer era entrançar o seu cabelo; de modo que a dor ficasse presa no cabelo e não pudesse atingir o resto do corpo.

Havia que ter cuidado para que a tristeza não entrasse nos olhos, porque iria fazer com que chorassem, também não era bom deixar entrar a tristeza nos nossos lábios porque iria forçá-los a dizer coisas que não eram verdadeiras, que também não se metesse nas mãos porque se pode deixar tostar demais o café ou queimar a massa.

Porque a tristeza gosta do sabor amargo.

Quando te sintas triste menina - dizia a minha avó - entrança o cabelo, prende a dor na madeixa e deixa escapar o cabelo solto quando o vento do norte sopre com força.

O nosso cabelo é uma rede capaz de apanhar tudo, é forte como as raízes do cipreste e suave como a espuma do atole.
Que não te apanhe desprevenida a melancolia minha neta, ainda que tenhas o coração despedaçado ou os ossos frios com alguma ausência. 

Não deixes que a tristeza entre em ti com o teu cabelo solto, porque ela irá fluir em cascata através dos canais que a lua traçou no teu corpo. 

Trança a tua tristeza, dizia. Trança sempre a tua tristeza.

E na manhã ao acordar com o canto do pássaro, ele encontrará a tristeza pálida e desvanecida entre o trançar dos teus cabelos...

Texto de Paola Klug

   


sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Magia da Tulipa para Prosperidade

magia para prosperidade
“As tulipas foram introduzidas nos Países Baixos no século XVII. Suas flores, muito apreciadas por sua beleza, passaram a ser muito procuradas, favorecendo o aumento dos preços. Com o passar dos anos, os preços aumentavam cada vez mais rápido, tornando o comércio de bulbos de tulipas bastante lucrativo. Pessoas de todas as classes vendiam propriedades para investir em tulipas, e em meados da década de 1630 surgiram contratos de futuros para negociar os bulbos antes mesmo da colheita. Em 1637, devido a diversos fatores, houve uma perda de confiança em tais títulos, levando muitos a uma corrida para o resgate de seus investimentos. Consequentemente, os preços caíram subitamente, e inúmeros negociantes foram à falência.”

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Mania_das_tulipas


As tulipas possuem forte conexão com a prosperidade material. Contudo, não devemos esquecer que a prosperidade material deve ser acompanhada do crescimento espiritual e trabalhada  na exata medida de nossas necessidades. Essa magia deve ser realizada no período da Lua Crescente.


Material


* Pétalas de uma flor de tulipa laranja;
* Sálvia seca ou em pó;
* Gengibre em pó;
* Cravo da índia inteiro ou em pó;
* Carvão em disco.


Triture no pilão as ervas junto com as pétalas da tulipa laranja. Acenda o carvão – dica da Nina Drabardi para uma bruxa meio atrapalhada!  

Queime as ervas e pétalas moídas e mentalize o desejo de prosperidade material mas na medida exata para o seu crescimento material e espiritual! Não vamos repetir a tulipamania! 

Descarte os resíduos em água corrente.


elaborado e escrito por Kala Kalla
(bruxa colaboradora do Magia no Dia a Dia)
contato: kalakalla.magic@gmail.com 


      

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Ciência e Religião

Em palavras diretas e bem simples, a atriz e cientista Mayim Bialik, nos mostra como ciência e religiosidade podem coexistir em harmonia.





quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Anéis e Magia, tudo a ver!

Desde a antiguidade, os anéis estão associados ao poder, seja o poder terreno, seja o poder espiritual. Na Babilônia e na Caldéia, por exemplo,  os sacerdotes usavam anéis de ouro e pedras preciosas representando o poder e o domínio da Alta Magia. 

As pontas dos dedos tem muito poder pois são antenas captadoras de energia cósmica, que se bem usada pode beneficiar pessoas em trabalhos de cura e direcionamento dos desejos. Na falta de uma varinha ou athame, o operador da magia  poderá traçar o círculo mágico com o próprio dedo.

Pois bem, ao escolher o anel devemos levar em conta que cada dedo relaciona-se a um tipo de energia representada por um planeta. Então se escolhemos a pedra correspondente, teremos uma união de forças que nos ajudará naturalmente.

 
anéis e magia
citrino

 

Vejamos:

 

Dedo Mínimo, planeta: Mercúrio

Comunicação, inteligência, pensamento, comércio, negócios, pequenas viagens, estudos, magia; a forma como a consciência vibra a intuição. Pedras indicadas: citrino (intelectualidade), pirita (matéria) e ametista (espiritual).


Dedo Anular, planeta:Sol

Alegria, vibração, individualidade, sucesso, autoexpressão, reconhecimento, liderança, vitalidade; a forma como a consciência vibra a física. Pedras indicadas: granada (sucesso pessoal), pedra do sol (sucesso profissional), ágata de fogo (vitalidade).


Dedo Médio, planeta: Saturno

Solidez, estrutura, responsabilidade, trabalho, sabedoria, experiência, tempo, disciplina, concentração; como a consciência vibra o mental concreto. Pedras indicadas: ônix , hematita , turmalina negra.


Dedo Indicador, planeta: Júpiter

Status social,  vitória, proteção, religiosidade, viagens longas, expansão, fé, conexão; como a consciência vibra a percepção. Pedra indicada: cristal de quartzo incolor límpido.

 

Dedo Polegar, planeta: Vênus

Amor, sensualidade, sexualidade, relacionamentos; como a consciência vibra a mente abstrata angélica. É também conhecido como o dedo do livre-arbítrio e por esse motivo há quem sustente não ser positivo usar anéis nesse dedo, para que nenhuma energia interfira nas suas escolhas. 

 

Observações:

Os dedos da mão direita são os potencializadores, são responsáveis pelas metas que desejamos alcançar.

Os dedos da mão esquerda são os protetores, ou seja, os responsáveis pela manutenção daquilo que já conseguimos.

Caso você seja canhoto a coisa funciona de forma inversa.

Uma curiosidade: a aliança de casamento é tradicionalmente usada no dedo anelar da mão esquerda pois o ouro é o metal relacionado ao Sol e na mão esquerda estão os dedos protetores. Significa o desejo de que a união seja alegre e longeva.

Para questões de amor, se seguirmos a regra de não usar anéis no polegar, podemos usar o quartzo rosa no dedo anular, pois a energia do amor também tem a ver com o Sol: pura alegria e prazer!

 

escrito por Nina Drabardi

 

   




terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Morgana diz:

magia no dia a dia
"A magia é um caminho desconhecido, assim como a escuridão da noite. 

E ao mesmo tempo assustadora, tornando-se um desafio para renunciarmos aos nossos medos e mergulharmos neste mundo secreto, que quanto mais se caminha, mais se descobre o que há por trás da penumbra. 

A bruxaria é um mundo oculto pelas sombras da noite, em que só a bruxa, por si própria, poderá descobrir o caminho certo, confiando na sua eterna aliada, a lua, que é a luz da Deusa. 

Uma bruxa acomodada jamais será sabia, porque o conhecimento oculto não é recebido e sim procurado. 

O segredo é confiarmos na luz interior que nos guiará adiante no caminho da procura, que começará neste momento. 

Mas esta é a minha verdade; eu, que sou Morgana, conto-vos estas coisas, Morgana que em tempos mais recentes foi chamada Morgana, a Fada."

(As Brumas de Avalon, de Marion Zimmer Bradley)
          

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

A Magia e a Lua Fora de Curso (LFC)

lua fora de curso


O período em que a Lua se encontra fora de curso não é favorável para a realização de trabalhos mágicos, pois a grosso modo falando, é como se a Lua estivesse "passiva" e, por isso, não deixando sua energia acessível à nós, não nos proporcionando inspiração ou intuição. 



Com isso, a avaliação das situações, a concentração e foco naquilo que se pretende realizar ficam prejudicados. A Lua Fora de Curso traz incerteza e descontinuidade, não há objetividade, nada frutifica durante esse período. 


Mas... o que é a Lua Fora de Curso?
Conforme nos ensina a astróloga Márcia Mattos, "tecnicamente, a Lua Fora de Curso é o intervalo que vai da hora em que a Lua forma seu último aspecto com um planeta antes de deixar um signo até o momento em que entra no signo seguinte (...) e começa uma nova série de aspectos com outros planetas."


Para saber quando a Lua está fora de curso basta acessar uma tabela lunar ou as efemérides. Existem muitos sites que também dão essa informação. O Almanaque Wicca, da Editora Pensamento, que é editado anualmente e tem baixo custo, além de ser facilmente encontrado, também nos dá todas as informações lunares para o período de um ano. 

Então, ao programar sua magia, preste atenção se a Lua se encontra fora de curso. Estando, reagende seu trabalho mágico. 😉


escrito por Nina Drabardi


    

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Animais de Poder, Deusas & Deuses

deuses e deusas


Abelha 
Responsabilidade, cooperação, prosperidade e planejamentos para o futuro. Nos ensinamentos indo-arianos e órficos gregos, as abelhas eram consideradas almas. Eram chamadas de "Pequenas Servas da Deusa" pelos primeiros matriarcados. "A Abelha" também era o título da suma sacerdotisa de Afrodite no Monte Eryx. A deusa grega Deméter era às vezes chamada de a "Mãe Abelha".

Abutre
Ciclo de morte e renascimento, orientação espiritual, destruição seguida pela reconstrução e profecia. Consagrado às deusas egípcias Nekhbet e Mut.

Cão/Sabujo
Devoção, companheirismo, lealdade, disposição de ir até o fim, vivacidade e descobrimento do conhecimento oculto e da verdade. Consagrados às deusas do Mundo Subterrâneo, os cães também representavam nosso julgamento subconsciente. Diz o mito que a deusa celta Nodens, uma agente de cura, era capaz de mudar de forma e se transformar em um cão. O deus nórdico Odin cavalgava em sua Caçada Selvagem com uma matilha de sabujos realizando os desejos da deusa Hel.

Cegonha 
Consagrada à deusa Juno, a cegonha representa o mensageiro de novas ideias e o nascimento.

Cisne
Interpretação dos sonhos, conhecimento místico, desenvolvimento das habilidades intuitivas, dignidade e inclinação para seguir os instintos. Consagrado a deusas como Afrodite, Vênus, Sarasvati e às nórdicas Valquírias, o cisne também simboliza um mensageiro da Deusa e a satisfação de um desejo.

Coruja
Para os antigos egípcios, a coruja simbolizava a morte, a noite, o frio. No entanto, para os gregos, ela representava a sabedoria, a lua, os mistérios lunares e as iniciações. Este pássaro também simboliza a vivacidade, a magia, o discernimento aguçado com relação a eventos obscuros, o desmascaramento de embusteiros, os sonhos, a mudança de forma, a clarividência e um mensageiro de segredos. A coruja era consagrada a deusas como a Deusa do Olho do Mediterrâneo, Atena, Lilith, Minerva, Blodeuwedd, Anath e Mari.

Corvo
Trapaça, audácia, habilidade, astúcia, profecia, mudança de forma. Companheiro da deusa celta Morrigan, o corvo simbolizava o poder criativo e a força espiritual encontrada através do aspecto de anciã da Deusa.

Falcão/Gavião
Discernimento aguçado das situações, perspicácia, presságios e sonhos e recordação de vidas passadas. No Egito, imaginava-se que o falcão representasse a alma. Consagrado ao deus Hórus, o falcão simbolizava o veículo interior para a transformação. O falcão também era um animal de Apolo.

Gato Doméstico
Independência, discernimento, atuação furtiva, engenhosidade, cura, amor, autoconfiança, obtenção de informações ocultas, visão de espíritos e proteção quando diante de uma situação de confronto. No antigo Egito, o gato era considerado uma criatura lunar, sendo consagrado a Bastet e Ísis. Em outras culturas era consagrado a Ártemis, Diana e Fréia.

Golfinho/Boto
Inteligência, comunicação, amizades, eloquência, liberdade, velocidade, prudência, mudança, equilíbrio e harmonia. Consagrado à deusa grega Têmis, esta criatura também simbolizava formas embrionárias dentro do oceano-útero da criação.

Gralha
De há muito este pássaro é considerado um mensageiro do mundo espiritual e um guia para oráculos e mestres de magia. Consagrado a deusas celtas como Rhiannon e Morrigan, a gralha representa a grande magia, a adivinhação, a eloquência, a sabedoria espiritual, a profecia, uma mudança na consciência, a inteligência e a comunicação com o Outro Mundo.

Hipopótamo
Nascimento de novas ideias, gravidez,  vida e força. A deusa-hipopótamo egípcia Ta-Urt também representava a fúria justificada.

Íbis
Pássaro do deus egípcio Thot , o íbis simbolizava a magia, os encantamentos, a escrita e o registro das coisas.

Javali/Porca
Astúcia, inteligência, vingança, defesa, conhecimento de vidas passadas, magia, proteção da família, cooperação, prosperidade e saúde, morte e renascimento.  A porca, em particular, representa a magia, o Mundo Subterrâneo e o conhecimento profundo do aspecto de anciã da Deusa. A porca era consagrada a Astarte, Cerridwen, Deméter, Fréia e ao aspecto budista da deusa chamada Marici.

Leão/Leoa
O leão representa o relaxamento, o fortalecimentos dos vínculos familiares, poder, majestade, coragem, energia, liberação da tensão e do estresse. A leoa simboliza o amor materno forte e protetor, a habilidade de cuidar de si mesmo e da família e a força de derrotar agressores. A leoa era consagrada a deusas como Hator, Sekhmet e Cibele, enquanto que o leão pertencia a divindades masculinas como Apolo Chrysocomes, Shams-On e Mitra.

Leopardo/Pantera
Rapidez, astúcia, força, agressividade e perseverança. Esses animais eram consagrados ao deus grego Dionísio.

Lobo
Inteligência, independência, desvio de problemas e de perseguidores, habilidade de passar invisível pelo perigo, energia para lutar quando necessário, sabedoria, sonhos, intuição, transformação, proteção, força e orientação espiritual. Para os egípcios e os romanos o lobo representava bravura; o deus-chacal Wepwawet era companheiro de Ísis e Osíris. Entre os nórdicos, ele simbolizava os poderes destrutivos do caos; Odin tinha sempre ao seu lado dois grandes lobos. O lobo era consagrado a deusa romana Lupa ou Ferônia, além de ser um animal que simbolizava as Vestais.

Morcego
Orientação em circunstância difíceis, desvio de obstáculos, barreiras e pessoas problemáticas. Na China, o morcego é um símbolo de boa sorte e felicidade. Na Europa, uma criatura companheira da deusa Hel.

Pavão
Dignidade, autoconfiança, vigilância e justiça divina. Consagrado às deusas Hera e Sarasvati

Pégaso
Inspiração poética, viagem astral e transformação do mal em bem. Consagrado à deusa Medusa e às Musas.

Pomba/Rolinha
Símbolo de um mensageiro espiritual entre Mundos, também representava a paz e o amor. Consagrada a Afrodite, Astarte e Vênus.

Movimentos rápidos, desvio de atenção, fertilidade, um novo ciclo de vida e iniciação e transformação. A Deusa Rã egípcia Heqet/Heket era ligada ao nascimento.

Raposa
Diz-se que o deus grego Dionísio se transformava em raposa, sua sacerdotisas usavam peles de raposa e eram chamadas de Bassáridas. A raposa denota inteligência, astúcia, sabedoria, desvio de ser observado e de problemas.

Touro/Vaca
O touro é símbolo de força, proteção da família e da consciência de quando se deve ser agressivo. A vaca representa a delicadeza e o equilíbrio, o amor materno arrebatado e o poder revigorante e sustentador da criação. No início da simbologia religiosa, o touro era um símbolo lunar da Grande Mãe e seus chifres simbolizavam o quarto crescente. Depois, o touro se tornou o símbolo dos deuses do sol Átis e Mitra, ambos associados à Cibele. A vaca era associada às deusas egípcias Hathor e Neith, bem como à deusa nórdica Audhumla.

Urso
Capacidade de resistência, harmonia, proteção do eu e da família, sonhos intuição, transformação e viagem astral. O urso era consagrado às deusas gregas Calisto e Ártemis.


Conforme os ensinamentos de D. J. Conway.





sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Timo: a chave da energia vital

glândula timo
No meio do peito, bem atrás do osso onde a gente toca quando diz "eu", fica uma pequena glândula chamada timo.

Seu nome em grego, thýmos, significa energia vital. Precisa dizer mais? Precisa, porque o timo continua sendo um ilustre desconhecido. Ele cresce quando estamos contentes, encolhe pela metade quando estressamos e mais ainda quando adoecemos.

Essa característica iludiu durante muito tempo a medicina, que só conhecia através de autópsias e sempre o encontrava encolhidinho. Supunha-se que atrofiava e parava de trabalhar na adolescência, tanto que durante décadas os médicos americanos bombardeavam timos adultos perfeitamente saudáveis com megadoses de raios X achando que seu "tamanho anormal" poderiam causar problemas.

Mais tarde a ciência demonstrou que, mesmo encolhendo após a infância, continua totalmente ativo; é um dos pilares do sistema imunológico, junto com as glândulas adrenais e a espinha dorsal, e está diretamente ligado aos sentidos, à consciência e à linguagem. Como uma central telefônica por onde passam todas as ligações, faz conexões para fora e para dentro.

Se somos invadidos por micróbios ou toxinas, reage produzindo células de defesa na mesma hora. Mas também é muito sensível a imagens, cores, luzes, cheiros, sabores, gestos, toques, sons, palavras, pensamentos. Amor e ódio o afetam profundamente. Ideias negativas têm mais poder sobre ele do que vírus ou bactérias. Já que não existem em forma concreta, o timo fica tentando reagir e enfraquece, abrindo brechas para sintomas de baixa imunidade, como
herpes. Em compensação, ideias positivas conseguem dele uma ativação geral em todos os poderes, lembrando a fé que remove montanhas.



O teste do pensamento:

Um teste simples pode demonstrar essa conexão.

Feche os dedos polegar e indicador na posição de o.k, aperte com força e peça para alguém tentar abri-los enquanto você pensa " estou feliz". Depois repita pensando " estou infeliz".

A maioria das pessoas conserva a força nos dedos com a ideia feliz e enfraquece quando pensa infeliz. (Substitua os pensamentos por uma bela sopa de legumes ou um lindo sorvete de chocolate para ver o que acontece...)

Esse mesmo teste serve para lidar com situações bem mais complexas.

Por exemplo, quando o médico precisa de um diagnóstico diferencial, seu paciente tem sintomas no fígado que tanto podem significar câncer quanto abcessos causados por amebas. Usando lâminas com amostras, ou mesmo representações gráficas de uma e outra hipótese, testa a força muscular do paciente quando em contato com elas e chega ao resultado.

As reações são consideradas respostas do timo e o método, que tem sido demonstrado em congressos científicos ao redor do mundo, já é ensinado na Universidade de São Paulo (USP) a médicos acupunturistas.

O detalhe curioso é que o timo fica encostadinho no coração, que acaba ganhando todos os créditos em relação a sentimentos, emoções, decisões, jeito de falar, jeito de escutar, estado de espírito..." Fiquei de coração apertadinho", por exemplo, revela uma situação real do timo, que só por reflexo envolve o coração. O próprio chacra cardíaco, fonte energética de união e compaixão, tem mais a ver com o timo do que com o coração- e é nesse chacra que, segundo os ensinamentos budistas, se dá a passagem do estágio animal para o estágio humano.

"Lindo!", você pode estar pensando, "mas e daí?".

Daí que, se você quiser, pode exercitar o timo para aumentar sua produção de bem estar e felicidade.

Como? Pela manhã, ao levantar, ou à noite, antes de dormir.

a).. Fique de pé, os joelhos levemente dobrados. A distância entre os pés deve ser a mesma dos ombros. Ponha o peso do corpo sobre os dedos e não sobre o calcanhar, e mantenha toda a musculatura bem relaxada.

b).. Feche qualquer uma das mãos e comece a dar pancadinhas contínuas com os nós dos dedos no centro do peito, marcando o ritmo assim: uma forte e duas fracas. Continue entre três e cinco minutos, respirando calmamente, enquanto observa a vibração produzida em toda a região torácica.
O exercício estará atraindo sangue e energia para o timo, fazendo-o crescer em vitalidade e beneficiando também pulmões, coração, brônquios e garganta. Ou seja, enchendo o peito de algo que já era seu e só estava esperando um olhar de reconhecimento para se transformar em coragem, calma, nutrição emocional, abraço.

Ótimo, íntimo, cheio de estímulo. Bendito Timo.

Texto de Sonia Hirsch


      


quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Blindagem com Espelhos

magia no dia a dia
Os espelhos tem muitos usos em magia, alguns bem simples e outros mais elaborados que só devem ser realizados por pessoas que estejam preparadas para tal. Além de serem algo como "refletores da vida", os espelhos também são portais para outros reinos ou dimensões. 

Hoje vamos ver uma forma muito fácil e altamente eficiente de autoproteção que pode ser realizada a qualquer momento, em qualquer lugar e de forma imperceptível.

Quando você sentir vibrações negativas num ambiente ou perceber que alguém emite más influências em sua direção, seja na forma de inveja, raiva, ou algo semelhante, basta que você se visualize  cercado por espelhos com a face refletora voltada para o ambiente. Peça, mentalmente, que todo mal seja refletido para longe e se dissolva no espaço perdendo sua força maléfica. Só não deseje que o mal se volte para quem tentou prejudicá-lo, não mesmo, não vale a pena. 


escrito por Nina Drabardi


    

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Tabela de Correspondência entre os Chakras e os Orixás


Embora eu não saiba muita coisa a respeito dos Orixás, achei essa tabela de correspondência entre os Chakras e os Orixás muito interessante e com boas informações por isso resolvi compartilhar com vocês. 



correspondência entre os chacras e os orixás





    

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Hortinha na Água

Antes de tudo quero dizer que em tempos de Aedes aegypti e todas as doenças que esse mosquito pode transmitir devemos ponderar seriamente se vale a pena cultivar as ervas na água. Dito isso, vamos às dicas.

magia no dia a dia
manjericão
A água usada deve ser mineral sem gás, água de chuva ou água de rio ou cachoeira (não poluídos, evidentemente). Não use água clorada.
Use garrafas ou potes de vidro que não tenham a boca muito estreita para que o ar possa fluir numa boa. Se você conseguir garrafas ou potes coloridos será melhor ainda pois ter as raízes protegidas da luz direta fortalece a planta.
Não deixe folhas em contato com a água, remova algumas se for preciso. Até que as raízes apareçam, o que deve ocorrer em até seis semanas, troque a água semanalmente. Depois que as raízes tiverem nascido não é mais necessária a troca de água semanal. Basta complementar quando necessário.

Algumas ervas que podem ser cultivadas em água:

Alecrim – mantenha em local ensolarado, plante na primavera para melhores resultados.
Sálvia – deve ficar em local arejado para evitar mofo e a primavera é a época mais favorável para o plantio.
Hortelã-pimenta – basta colocar a erva fresca na água em qualquer época do ano.
Manjericão – deve ser plantada antes da floração e mantida em local ensolarado.
Tomilho – plante a erva fresca entre o meio da primavera e o início do verão, antes da floração; podar de vez em quando ajuda a aumentar a ramificação.
Orégano – plante o orégano fresco em qualquer época do ano e use as pontinhas conforme o crescimento da erva.

escrito por Nina Drabardi

    
    
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...